FRUIÇÃO E ESCRITA II ENJOYMENT AND WRITING

O Paraíso Perdido – Lost Paradise

A Visão do Paraíso Perdido

Ao longe, verdes pradarias,
Águas límpidas em nascentes.
Amigos passeiam contentes
À Amizade constroem elegias

Trovões, negras nuvens, tempestades
No horizonte surgem, sutis.
De harmonia já não sãos as vontades
Na poesia só se fala de fuzis.

Ao longe, tristes pradarias,
Águas turvas, em torrentes.
Estranhos marcham, reticentes,
A Ares elevam honrarias.

Luiz Ramos (c)

Rio, janeiro de 2008.

Arte/Foto: ramosforest ©

Anúncios

agosto 3, 2008 - Posted by | Poesia, poetry, violence.

2 Comentários »

  1. Já foi-se o tempo em que a poesia retratava apenas as belezas da vida… Infelizmente! O poeta passou sim, a falar mais sobre os transtornos das guérras, e as desgraças das vidas… Mas nem tudo esta perdido! Podemos refazer tudo de novo… A começar pelas boas amizades!

    OBRIGADO POR SUA VISITA AO MEU BLOG!… VOLTAREI AQUI MAIS VEZES!

    Comentário por Luiz Caio | agosto 4, 2008 | Responder

  2. E a poesia se fez no ritual da vida, que é paraíso achado no mundo da fantasia… Lindo poema, Luiz, que exclama em versos a força da água vermelha. Beijos.

    Comentário por Madalena Barranco | agosto 18, 2008 | Responder


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: