FRUIÇÃO E ESCRITA II ENJOYMENT AND WRITING

A TRADIÇÃO E A INOVAÇÃO NA FOTOGRAFIA

DSC_0248_edited-2

A TRADIÇÃO E A INOVAÇÃO NA FOTOGRAFIA

Este pequeno resumo da história da fotografia é motivado pela notícia de que, na era digital, a fotografia preto e branco (P&B) tradicional está tentando permanecer como técnica viável e busca sua preservação por meio de um movimento de fotógrafos que reivindicam sua inclusão como patrimônio cultural da humanidade. Diversos pesquisadores contribuíram para o surgimento e desenvolvimento da fotografia.

O francês Louis Daguerre foi considerado como o primeiro pesquisador que produziu uma imagem fixa pela ação direta da luz, ao manipular uma chapa revestida com prata e sensibilizada com iodeto de prata, que não apresentava nenhum vestígio de imagem: o vapor de mercúrio de um termômetro quebrado teria sido o agente revelador de determinadas formas difusas surgidas na chapa.

O processo passou a se utilizar de chapas de cobre sensibilizadas com prata e tratadas com vapores de iodo. O revelador era o mesmo mercúrio aquecido e o fixador, uma solução de sal de cozinha. Já em 1839, sua invenção, batizada de daguerreótipo – nome pelo qual a fotografia foi conhecida durante décadas. Hercule Florence, francês integrante da expedição de Langsdorf na América do Sul, em 1829, com o fim da expedição Langsdorf no Brasil, estabeleceu-se em São Paulo, e, em 1830, criou um meio de impressão denominado Polygrafie. que sanava a sua falta de um prelo. Ao pesquisar novos meios de reprodução, Florence descobriu, em 1832, um processo de gravação através da luz, denominado Photografie (uma chapa de vidro em uma câmara escura, cuja imagem era passada por contato para um papel sensibilizado.

Consta que o primórdio do daguerreótipo está na idéia de Joseph N. Niépce, pesquisador da heliografia (gravação por meio da luz). Daguerre e outros continuaram a aperfeiçoar as chapas sensíveis, os materiais de revelação e fixação e até mesmo as objetivas, com tempo de exposição de cerca de 30 minutos. Josef Petzval criou uma lente dupla, formada por componentes distintos e trinta vezes mais rápida do que as lentes tradicionais, porém, a reprodução esbarrava no fato de que todos os processos produziam um só positivo. O inglês Fox Talbot criou o sistema para reprodução continuada de uma imagem fotográfica a partir da chapa exposta, o negativo, por volta de 1840. A partir daí, foram surgindo aperfeiçoamentos do sistema, até o surgimento da câmera digital.

Luiz Ramos da Silva Filho – fotógrafo amador, advogado, especialista em gerenciamento ambiental.

Fonte: diversos autores e Internet.

Foto:ramosforest©

Anúncios

junho 11, 2009 - Posted by | environment,photography. "meio ambiente", fotografia, literatura | ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: