FRUIÇÃO E ESCRITA II ENJOYMENT AND WRITING

O meu amigo Bruni – My dog friend

Bruni

_________________________________________________________________

Bruni, my dog friend

Water is essential to life on our planet. The sociability is essential to life in society. The dog is the man’s best friend and is also an instrument of “socialization.”

This phenomenon happens when I get out walking with my dog / friend. When I’m alone, on the street, people go away and don´t realize me, as I feel invisible.

But when I’m walking with Bruni, my friend Cocker, the passersby smile, are friendly, comment about the dog and even stop to exchange a few words.

Thus, I conclude that I cannot live without water and without Bruni, my friend and “socializator.”

Luiz Ramos©

Photo: ramosforest(c)

____________________________________________________________________________

O MEU AMIGO BRUNI

A água é elemento essencial à vida em nosso planeta. A sociabilidade é essencial à vida em sociedade. O cão é o melhor amigo do homem e é também um instrumento de “sociabilização”.

Essas constatações advêm do fenômeno que ocorre quando saio para caminhar com meu cão/amigo. Quando eu estou só, na rua, as pessoas passam sem me perceber, até me sinto invisível. São sinais de nosso tempo…

Porém, quando estou caminhando com o Bruni, meu amigo Cocker, os transeuntes sorriem, fazem comentários amigáveis sobre o cão e até param para trocar algumas palavras.

Assim, concluo que não posso viver sem água e sem o Bruni, meu amigo e “sociabilizador”.

Luiz Ramos

Foto:ramosforest©

Anúncios

julho 3, 2009 Posted by | "cocker spaniel", amizade, Bruni, pet | , , , | 7 Comentários

Recordar é viver.


Recordar é viver, dizem, e eu fui aos meus arquivos buscar razão para reviver grandes momentos, resgatar amigos e textos, e relembrar bons momentos.


O texto que segue foi publicado em julho de 2007 naquele espaço que conhecemos e acabou arbitrariamente. Sempre vale a pena viver e reviver


__________________________________________________________________________


Há três meses, dia 28/04/2007, eu cheguei, atraído pelo Post de Tecnologia do Fábio Cerdeira. Gostei do lugar. Fiquei.


1. A Responsabilidade Social e a Ecoeficiência ninguém viu.


2. A Tradição Fotográfica trouxe-me Fábio Cerdeira, que me indicou minha madrinha, uma Graça – a Carpes.


3. A Responsabilidade Sócioambiental e as relações fornecedor/empresa/cliente/consumidor me trouxeram o Jorge Antonio. Já havia Graça no meu Post.


4. O Licenciamento Ambiental e o IBAMA, muito técnico, só atraíram uma Graça.


5. Como o anterior, o Meio Ambiente bem monitorado pelo GPS, foi pouco comentado. (Puxa vida, até no ciclismo o GPS é útil…


6. Ao Remo na Lagoa só compareceram os meus dois leitores de primeira hora.


7. Ninguém se interessou pelo Museu da Água. Mas o Post teve a Graça.


8. O ruído dos Movimentos das Plantas atraiu Jorge Antonio, Tere Tavares, Denise. A Graça permaneceu assídua.


9. Contabilidade, Economia e Meio Ambiente contabilizaram a presença da Denise e a chegada do meu amigo Adailto.


10. Um Caso do Meu Rio Abaixo (I) trouxe Dona Lucília, a mulher que impulsionou o Trenzinho do Caipira. No trem, vieram o Sérgio Serra, a Rose C., o Ricardo Calmon, o Adailto, a glinys christ, a Denise e a Tere. E nem fiquei sem a Graça.


11. Paisagem, palavra bonita, que se refere a lugar que deve ser sempre preservado, foi visitada por amigos antigos e os recém chegados Carlos Junior e Fabiana Oliveira.


12. Um Outro Caso do Meu Rio Abaixo (II) chegou de Maria Fumaça, repleta de amigos e a recém adotada – juntamente com uma comitiva de fadas, gnomos, bruxas, animais e poesia, a Madalena Barranco.


13. Eu fui à Caça de Animais e Plantas. Colhi grande safra fotográfica na companhia de antigos amigos e da então recente amiga Denise Solami.


14. Quando os Indígenas foram dizimados com a chegada do “descobridor”, só o Jorge Antonio, a Denise e a Graça compareceram.


15. Para percorrer em bicicleta o Caminho do Ouro pela Estreada Real, eu tive a companhia de vários amigos. Um expert em cicloturismo estava presente, o Jorge Antonio.


16. Uma curiosidade sobre o rio da foto do meu Blog nos levou ao Rio de Piracicaba. Com vários amigos, além da presença fugaz do Luis Santana, percorremos as bacias fluviais do Sudeste e do Sul do Brasil.


17. Eu me Lembro… Muitos amigos antigos se lembraram e também a Christina Cabral, que então chegava.


18. A Fruta do Dragão, exótica, chamou a atenção e despertou o paladar de muitos amigos, com exemplos de frutas exóticas e outras nativas do Brasil. O Ricardo Calmon falou de sua Amazônia. O Selmo Santos chegou saboreando o cacau.


19. O latido do Meu Cão Social atraiu a atenção de muitos amigos e trouxe a Eduarda Petry, a Ana Guimarães, a Renata Fern e o Carlos Oliveira.


20. Espantados pela Aranha e o Cupuaçu, só quatro amigos se interessaram por Biopirataria e Diversidade Biológica.


21. Caos Urbano trouxe alguns amigos para verem os danos sofridos pelas cidades.


22. Ao Ricardo falei, cometi uma poesia e muitos amigos compareceram, inclusive o Ricardo Calmon.


23. Convidados, muitos amigos compareceram, pois A Casa é Sua… Até a Lu Cavichioli e a Rosiris chegaram para tomar café de coador de pano à beira do fogão de lenha.


24. Uma ave marinha falou-me sobre a Baia de Babitonga. E seguiu sua viagem. A ave não voltou mais, mas muitos amigos estiveram comigo naquela Baia.


25. A Libélula e os Bioindicadores atraíram a atenção de antigos amigos e da Whane Veloso. Ficamos todos às margens de um curso d’água apreciando a paisagem.


26. Os Biguás no PAN chamaram a atenção de muitos amigos. Digo e repito: eram realmente 125 biguás. Eu contei.


27. Um Outro Caso do Rio Abaixo (III) sobre o Giuseppe Ghiaroni surgiu da curiosidade da Renata e da Rose C. sobre o Poema das Mãos. Não esclareci a autoria daquele poema, mas tive assunto para o tema.


28. Muitos e muitos amigos, como o Carlos Maria Sena, o José Carlos Rocha, a Adriana Ramos, o Ricardo Mainieri, o Djabal Maat, a Lucia Helena, o Marcelo Santos, o Gleidson P. Brito, a Jane Magalhães, o Edmilson Ramos Coutinho e outros mais compareceram. E o Moderador, e o pessoal de suporte técnico, que sempre ajudam, onde ficam?


E, além de todos os aqui citados, outros muitos amigos compareceram, às vezes nem comentaram e se foram. Mas todos têm voltado e estou certo de que voltarão sempre para um café em coador de pano ao lado do fogão de lenha, às margens de um rio, lendo uma poesia, “jogando conversa fora” em um barzinho na cidade ou em uma pousada no Caminho do Ouro na Estrada Real, ou em qualquer outro lugar, pois a Natureza não tem fronteiras. _______________________________________________________________________________


Luiz Ramos ©

Foto: ramosforest©

Environment,literaure, photography

maio 25, 2009 Posted by | amizade, blogger, memoria, ramosforest | Deixe um comentário

Recordar é viver.


Recordar é viver, dizem, e eu fui aos meus arquivos buscar razão para reviver grandes momentos, resgatar amigos e textos, e relembrar bons momentos.


O texto que segue foi publicado em julho de 2007 naquele espaço que conhecemos e acabou arbitrariamente. Sempre vale a pena viver e reviver


__________________________________________________________________________


Há três meses, dia 28/04/2007, eu cheguei, atraído pelo Post de Tecnologia do Fábio Cerdeira. Gostei do lugar. Fiquei.


1. A Responsabilidade Social e a Ecoeficiência ninguém viu.


2. A Tradição Fotográfica trouxe-me Fábio Cerdeira, que me indicou minha madrinha, uma Graça – a Carpes.


3. A Responsabilidade Sócioambiental e as relações fornecedor/empresa/cliente/consumidor me trouxeram o Jorge Antonio. Já havia Graça no meu Post.


4. O Licenciamento Ambiental e o IBAMA, muito técnico, só atraíram uma Graça.


5. Como o anterior, o Meio Ambiente bem monitorado pelo GPS, foi pouco comentado. (Puxa vida, até no ciclismo o GPS é útil…


6. Ao Remo na Lagoa só compareceram os meus dois leitores de primeira hora.


7. Ninguém se interessou pelo Museu da Água. Mas o Post teve a Graça.


8. O ruído dos Movimentos das Plantas atraiu Jorge Antonio, Tere Tavares, Denise. A Graça permaneceu assídua.


9. Contabilidade, Economia e Meio Ambiente contabilizaram a presença da Denise e a chegada do meu amigo Adailto.


10. Um Caso do Meu Rio Abaixo (I) trouxe Dona Lucília, a mulher que impulsionou o Trenzinho do Caipira. No trem, vieram o Sérgio Serra, a Rose C., o Ricardo Calmon, o Adailto, a glinys christ, a Denise e a Tere. E nem fiquei sem a Graça.


11. Paisagem, palavra bonita, que se refere a lugar que deve ser sempre preservado, foi visitada por amigos antigos e os recém chegados Carlos Junior e Fabiana Oliveira.


12. Um Outro Caso do Meu Rio Abaixo (II) chegou de Maria Fumaça, repleta de amigos e a recém adotada – juntamente com uma comitiva de fadas, gnomos, bruxas, animais e poesia, a Madalena Barranco.


13. Eu fui à Caça de Animais e Plantas. Colhi grande safra fotográfica na companhia de antigos amigos e da então recente amiga Denise Solami.


14. Quando os Indígenas foram dizimados com a chegada do “descobridor”, só o Jorge Antonio, a Denise e a Graça compareceram.


15. Para percorrer em bicicleta o Caminho do Ouro pela Estreada Real, eu tive a companhia de vários amigos. Um expert em cicloturismo estava presente, o Jorge Antonio.


16. Uma curiosidade sobre o rio da foto do meu Blog nos levou ao Rio de Piracicaba. Com vários amigos, além da presença fugaz do Luis Santana, percorremos as bacias fluviais do Sudeste e do Sul do Brasil.


17. Eu me Lembro… Muitos amigos antigos se lembraram e também a Christina Cabral, que então chegava.


18. A Fruta do Dragão, exótica, chamou a atenção e despertou o paladar de muitos amigos, com exemplos de frutas exóticas e outras nativas do Brasil. O Ricardo Calmon falou de sua Amazônia. O Selmo Santos chegou saboreando o cacau.


19. O latido do Meu Cão Social atraiu a atenção de muitos amigos e trouxe a Eduarda Petry, a Ana Guimarães, a Renata Fern e o Carlos Oliveira.


20. Espantados pela Aranha e o Cupuaçu, só quatro amigos se interessaram por Biopirataria e Diversidade Biológica.


21. Caos Urbano trouxe alguns amigos para verem os danos sofridos pelas cidades.


22. Ao Ricardo falei, cometi uma poesia e muitos amigos compareceram, inclusive o Ricardo Calmon.


23. Convidados, muitos amigos compareceram, pois A Casa é Sua… Até a Lu Cavichioli e a Rosiris chegaram para tomar café de coador de pano à beira do fogão de lenha.


24. Uma ave marinha falou-me sobre a Baia de Babitonga. E seguiu sua viagem. A ave não voltou mais, mas muitos amigos estiveram comigo naquela Baia.


25. A Libélula e os Bioindicadores atraíram a atenção de antigos amigos e da Whane Veloso. Ficamos todos às margens de um curso d’água apreciando a paisagem.


26. Os Biguás no PAN chamaram a atenção de muitos amigos. Digo e repito: eram realmente 125 biguás. Eu contei.


27. Um Outro Caso do Rio Abaixo (III) sobre o Giuseppe Ghiaroni surgiu da curiosidade da Renata e da Rose C. sobre o Poema das Mãos. Não esclareci a autoria daquele poema, mas tive assunto para o tema.


28. Muitos e muitos amigos, como o Carlos Maria Sena, o José Carlos Rocha, a Adriana Ramos, o Ricardo Mainieri, o Djabal Maat, a Lucia Helena, o Marcelo Santos, o Gleidson P. Brito, a Jane Magalhães, o Edmilson Ramos Coutinho e outros mais compareceram. E o Moderador, e o pessoal de suporte técnico, que sempre ajudam, onde ficam?


E, além de todos os aqui citados, outros muitos amigos compareceram, às vezes nem comentaram e se foram. Mas todos têm voltado e estou certo de que voltarão sempre para um café em coador de pano ao lado do fogão de lenha, às margens de um rio, lendo uma poesia, “jogando conversa fora” em um barzinho na cidade ou em uma pousada no Caminho do Ouro na Estrada Real, ou em qualquer outro lugar, pois a Natureza não tem fronteiras. _______________________________________________________________________________


Luiz Ramos ©

Foto: ramosforest©

Environment,literaure, photography

maio 25, 2009 Posted by | amizade, blogger, memoria, ramosforest | Deixe um comentário

Recordar é viver.


Recordar é viver, dizem, e eu fui aos meus arquivos buscar razão para reviver grandes momentos, resgatar amigos e textos, e relembrar bons momentos.


O texto que segue foi publicado em julho de 2007 naquele espaço que conhecemos e acabou arbitrariamente. Sempre vale a pena viver e reviver


__________________________________________________________________________


Há três meses, dia 28/04/2007, eu cheguei, atraído pelo Post de Tecnologia do Fábio Cerdeira. Gostei do lugar. Fiquei.


1. A Responsabilidade Social e a Ecoeficiência ninguém viu.


2. A Tradição Fotográfica trouxe-me Fábio Cerdeira, que me indicou minha madrinha, uma Graça – a Carpes.


3. A Responsabilidade Sócioambiental e as relações fornecedor/empresa/cliente/consumidor me trouxeram o Jorge Antonio. Já havia Graça no meu Post.


4. O Licenciamento Ambiental e o IBAMA, muito técnico, só atraíram uma Graça.


5. Como o anterior, o Meio Ambiente bem monitorado pelo GPS, foi pouco comentado. (Puxa vida, até no ciclismo o GPS é útil…


6. Ao Remo na Lagoa só compareceram os meus dois leitores de primeira hora.


7. Ninguém se interessou pelo Museu da Água. Mas o Post teve a Graça.


8. O ruído dos Movimentos das Plantas atraiu Jorge Antonio, Tere Tavares, Denise. A Graça permaneceu assídua.


9. Contabilidade, Economia e Meio Ambiente contabilizaram a presença da Denise e a chegada do meu amigo Adailto.


10. Um Caso do Meu Rio Abaixo (I) trouxe Dona Lucília, a mulher que impulsionou o Trenzinho do Caipira. No trem, vieram o Sérgio Serra, a Rose C., o Ricardo Calmon, o Adailto, a glinys christ, a Denise e a Tere. E nem fiquei sem a Graça.


11. Paisagem, palavra bonita, que se refere a lugar que deve ser sempre preservado, foi visitada por amigos antigos e os recém chegados Carlos Junior e Fabiana Oliveira.


12. Um Outro Caso do Meu Rio Abaixo (II) chegou de Maria Fumaça, repleta de amigos e a recém adotada – juntamente com uma comitiva de fadas, gnomos, bruxas, animais e poesia, a Madalena Barranco.


13. Eu fui à Caça de Animais e Plantas. Colhi grande safra fotográfica na companhia de antigos amigos e da então recente amiga Denise Solami.


14. Quando os Indígenas foram dizimados com a chegada do “descobridor”, só o Jorge Antonio, a Denise e a Graça compareceram.


15. Para percorrer em bicicleta o Caminho do Ouro pela Estreada Real, eu tive a companhia de vários amigos. Um expert em cicloturismo estava presente, o Jorge Antonio.


16. Uma curiosidade sobre o rio da foto do meu Blog nos levou ao Rio de Piracicaba. Com vários amigos, além da presença fugaz do Luis Santana, percorremos as bacias fluviais do Sudeste e do Sul do Brasil.


17. Eu me Lembro… Muitos amigos antigos se lembraram e também a Christina Cabral, que então chegava.


18. A Fruta do Dragão, exótica, chamou a atenção e despertou o paladar de muitos amigos, com exemplos de frutas exóticas e outras nativas do Brasil. O Ricardo Calmon falou de sua Amazônia. O Selmo Santos chegou saboreando o cacau.


19. O latido do Meu Cão Social atraiu a atenção de muitos amigos e trouxe a Eduarda Petry, a Ana Guimarães, a Renata Fern e o Carlos Oliveira.


20. Espantados pela Aranha e o Cupuaçu, só quatro amigos se interessaram por Biopirataria e Diversidade Biológica.


21. Caos Urbano trouxe alguns amigos para verem os danos sofridos pelas cidades.


22. Ao Ricardo falei, cometi uma poesia e muitos amigos compareceram, inclusive o Ricardo Calmon.


23. Convidados, muitos amigos compareceram, pois A Casa é Sua… Até a Lu Cavichioli e a Rosiris chegaram para tomar café de coador de pano à beira do fogão de lenha.


24. Uma ave marinha falou-me sobre a Baia de Babitonga. E seguiu sua viagem. A ave não voltou mais, mas muitos amigos estiveram comigo naquela Baia.


25. A Libélula e os Bioindicadores atraíram a atenção de antigos amigos e da Whane Veloso. Ficamos todos às margens de um curso d’água apreciando a paisagem.


26. Os Biguás no PAN chamaram a atenção de muitos amigos. Digo e repito: eram realmente 125 biguás. Eu contei.


27. Um Outro Caso do Rio Abaixo (III) sobre o Giuseppe Ghiaroni surgiu da curiosidade da Renata e da Rose C. sobre o Poema das Mãos. Não esclareci a autoria daquele poema, mas tive assunto para o tema.


28. Muitos e muitos amigos, como o Carlos Maria Sena, o José Carlos Rocha, a Adriana Ramos, o Ricardo Mainieri, o Djabal Maat, a Lucia Helena, o Marcelo Santos, o Gleidson P. Brito, a Jane Magalhães, o Edmilson Ramos Coutinho e outros mais compareceram. E o Moderador, e o pessoal de suporte técnico, que sempre ajudam, onde ficam?


E, além de todos os aqui citados, outros muitos amigos compareceram, às vezes nem comentaram e se foram. Mas todos têm voltado e estou certo de que voltarão sempre para um café em coador de pano ao lado do fogão de lenha, às margens de um rio, lendo uma poesia, “jogando conversa fora” em um barzinho na cidade ou em uma pousada no Caminho do Ouro na Estrada Real, ou em qualquer outro lugar, pois a Natureza não tem fronteiras. _______________________________________________________________________________


Luiz Ramos ©

Foto: ramosforest©

Environment,literaure, photography

maio 25, 2009 Posted by | amizade, blogger, memoria, ramosforest | Deixe um comentário

Recordar é viver.


Recordar é viver, dizem, e eu fui aos meus arquivos buscar razão para reviver grandes momentos, resgatar amigos e textos, e relembrar bons momentos.


O texto que segue foi publicado em julho de 2007 naquele espaço que conhecemos e acabou arbitrariamente. Sempre vale a pena viver e reviver


__________________________________________________________________________


Há três meses, dia 28/04/2007, eu cheguei, atraído pelo Post de Tecnologia do Fábio Cerdeira. Gostei do lugar. Fiquei.


1. A Responsabilidade Social e a Ecoeficiência ninguém viu.


2. A Tradição Fotográfica trouxe-me Fábio Cerdeira, que me indicou minha madrinha, uma Graça – a Carpes.


3. A Responsabilidade Sócioambiental e as relações fornecedor/empresa/cliente/consumidor me trouxeram o Jorge Antonio. Já havia Graça no meu Post.


4. O Licenciamento Ambiental e o IBAMA, muito técnico, só atraíram uma Graça.


5. Como o anterior, o Meio Ambiente bem monitorado pelo GPS, foi pouco comentado. (Puxa vida, até no ciclismo o GPS é útil…


6. Ao Remo na Lagoa só compareceram os meus dois leitores de primeira hora.


7. Ninguém se interessou pelo Museu da Água. Mas o Post teve a Graça.


8. O ruído dos Movimentos das Plantas atraiu Jorge Antonio, Tere Tavares, Denise. A Graça permaneceu assídua.


9. Contabilidade, Economia e Meio Ambiente contabilizaram a presença da Denise e a chegada do meu amigo Adailto.


10. Um Caso do Meu Rio Abaixo (I) trouxe Dona Lucília, a mulher que impulsionou o Trenzinho do Caipira. No trem, vieram o Sérgio Serra, a Rose C., o Ricardo Calmon, o Adailto, a glinys christ, a Denise e a Tere. E nem fiquei sem a Graça.


11. Paisagem, palavra bonita, que se refere a lugar que deve ser sempre preservado, foi visitada por amigos antigos e os recém chegados Carlos Junior e Fabiana Oliveira.


12. Um Outro Caso do Meu Rio Abaixo (II) chegou de Maria Fumaça, repleta de amigos e a recém adotada – juntamente com uma comitiva de fadas, gnomos, bruxas, animais e poesia, a Madalena Barranco.


13. Eu fui à Caça de Animais e Plantas. Colhi grande safra fotográfica na companhia de antigos amigos e da então recente amiga Denise Solami.


14. Quando os Indígenas foram dizimados com a chegada do “descobridor”, só o Jorge Antonio, a Denise e a Graça compareceram.


15. Para percorrer em bicicleta o Caminho do Ouro pela Estreada Real, eu tive a companhia de vários amigos. Um expert em cicloturismo estava presente, o Jorge Antonio.


16. Uma curiosidade sobre o rio da foto do meu Blog nos levou ao Rio de Piracicaba. Com vários amigos, além da presença fugaz do Luis Santana, percorremos as bacias fluviais do Sudeste e do Sul do Brasil.


17. Eu me Lembro… Muitos amigos antigos se lembraram e também a Christina Cabral, que então chegava.


18. A Fruta do Dragão, exótica, chamou a atenção e despertou o paladar de muitos amigos, com exemplos de frutas exóticas e outras nativas do Brasil. O Ricardo Calmon falou de sua Amazônia. O Selmo Santos chegou saboreando o cacau.


19. O latido do Meu Cão Social atraiu a atenção de muitos amigos e trouxe a Eduarda Petry, a Ana Guimarães, a Renata Fern e o Carlos Oliveira.


20. Espantados pela Aranha e o Cupuaçu, só quatro amigos se interessaram por Biopirataria e Diversidade Biológica.


21. Caos Urbano trouxe alguns amigos para verem os danos sofridos pelas cidades.


22. Ao Ricardo falei, cometi uma poesia e muitos amigos compareceram, inclusive o Ricardo Calmon.


23. Convidados, muitos amigos compareceram, pois A Casa é Sua… Até a Lu Cavichioli e a Rosiris chegaram para tomar café de coador de pano à beira do fogão de lenha.


24. Uma ave marinha falou-me sobre a Baia de Babitonga. E seguiu sua viagem. A ave não voltou mais, mas muitos amigos estiveram comigo naquela Baia.


25. A Libélula e os Bioindicadores atraíram a atenção de antigos amigos e da Whane Veloso. Ficamos todos às margens de um curso d’água apreciando a paisagem.


26. Os Biguás no PAN chamaram a atenção de muitos amigos. Digo e repito: eram realmente 125 biguás. Eu contei.


27. Um Outro Caso do Rio Abaixo (III) sobre o Giuseppe Ghiaroni surgiu da curiosidade da Renata e da Rose C. sobre o Poema das Mãos. Não esclareci a autoria daquele poema, mas tive assunto para o tema.


28. Muitos e muitos amigos, como o Carlos Maria Sena, o José Carlos Rocha, a Adriana Ramos, o Ricardo Mainieri, o Djabal Maat, a Lucia Helena, o Marcelo Santos, o Gleidson P. Brito, a Jane Magalhães, o Edmilson Ramos Coutinho e outros mais compareceram. E o Moderador, e o pessoal de suporte técnico, que sempre ajudam, onde ficam?


E, além de todos os aqui citados, outros muitos amigos compareceram, às vezes nem comentaram e se foram. Mas todos têm voltado e estou certo de que voltarão sempre para um café em coador de pano ao lado do fogão de lenha, às margens de um rio, lendo uma poesia, “jogando conversa fora” em um barzinho na cidade ou em uma pousada no Caminho do Ouro na Estrada Real, ou em qualquer outro lugar, pois a Natureza não tem fronteiras. _______________________________________________________________________________


Luiz Ramos ©

Foto: ramosforest©

Environment,literaure, photography

maio 25, 2009 Posted by | amizade, blogger, memoria, ramosforest | 4 Comentários

Ponto de Encontro

Ponto de Encontro entre Amigos
Friendly Meeting Point

Essa planta de cajueiro a germinar marca o inicio de um grande ponto de encontro entre amigos, à sombra de uma árvore amistosa e acolhedora.

Luiz Ramos

Photo: ramosforest (c)

abril 15, 2009 Posted by | amizade, friendship, meeting | Deixe um comentário

Ponto de Encontro

Ponto de Encontro entre Amigos
Friendly Meeting Point

Essa planta de cajueiro a germinar marca o inicio de um grande ponto de encontro entre amigos, à sombra de uma árvore amistosa e acolhedora.

Luiz Ramos

Photo: ramosforest (c)

abril 15, 2009 Posted by | amizade, friendship, meeting | Deixe um comentário

Ponto de Encontro

Ponto de Encontro entre Amigos
Friendly Meeting Point

Essa planta de cajueiro a germinar marca o inicio de um grande ponto de encontro entre amigos, à sombra de uma árvore amistosa e acolhedora.

Luiz Ramos

Photo: ramosforest (c)

abril 15, 2009 Posted by | amizade, friendship, meeting | 4 Comentários

Ponto de Encontro

Ponto de Encontro entre Amigos
Friendly Meeting Point

Essa planta de cajueiro a germinar marca o inicio de um grande ponto de encontro entre amigos, à sombra de uma árvore amistosa e acolhedora.

Luiz Ramos

Photo: ramosforest (c)

abril 15, 2009 Posted by | amizade, friendship, meeting | Deixe um comentário