FRUIÇÃO E ESCRITA II ENJOYMENT AND WRITING

O Predador, a Presa e o Poeta



A Rose C. com sua suavidade e vigor poético (*)

A Ecologia é uma ciência que se acha em pleno desenvolvimento, após ter sido relegada a um segundo, plano por ser considerada assunto só de biólogos. Na verdade, a Ecologia faz intercâmbio de ensinamentos com inúmeras disciplinas, com as quais interage. Até com a Poesia. As pesquisas ecológicas, hoje em dia, interessam a todas as pessoas, das mais diversas atividades.

Os fatores ecológicos compreendem os aspectos climáticos, os aspectos abióticos na água e no solo, os alimentos e os aspectos bióticos. São estudadas ainda a dinâmica das populações, e a sinecologia – biocenose e ecossistema. Em seu aspecto de aplicação prática, a Ecologia estuda a ação do homem sobre a biosfera e a conservação da natureza.

Os fatores bióticos referem-se às interações que se manifestam entre os diversos organismos que povoam um determinado meio (Roger Dajoz). Estes fatores podem ser reações homotípicas e heterotípicas. As reações homotípicas referem-se a efeito de grupo, efeito de massa e competição intra-específica. As reações heterotípicas compreendem a competição, a predação e o parasitismo, o comensalismo e o mutualismo, e o amensalismo.

Em Sociologia, pode-se, por analogia, dizer que os seres humanos agem e reagem baseados nestes mesmos princípios ecológicos. As reações heterotípicas se combinam, dando como resultantes os seguintes fenômenos:

  • Neutralismo
  • Competição
  • Mutualismo
  • Cooperação
  • Comensalismo
  • Amensalismo
  • Parasitismo
  • Predação

O ser vivo predador é um organismo livre que procura um alimento vivo, animal ou vegetal e, algumas vezes, é confundido com um parasita. Entretanto, ambos, predador e parasita, podem subsistir às custa de uma ou várias espécies. Neste contexto, há que se falar de nicho ecológico e população. Nicho ecológico é a atividade exercida por determinada espécie, enquanto habitat é o lugar em que determinada espécie desenvolve suas atividades. População é o grupo de indivíduos que compõe uma espécie. A população é estudada para se determinar seus limites de crescimento, da quantidade de alimentos disponíveis e para avaliação dos efeitos da competição entre espécies sobre cada uma das duas populações.

As interações predador-presa dependem quase sempre da densidade populacional e a predação tem característica de fator limitante. Assim, quando as presas são abundantes, a fecundidade dos predadores aumenta e a população flutua. Por outro lado, quando o predador captura uma presa, geralmente, estas são as mais fracas da espécie e, assim, é melhorada a qualidade média dos sobreviventes das espécies da presa. Entre as aves, muitas espécies são mais abundantes quando a quantidade de alimento é maior. A densidade das populações depende de fatores diversos, como o clima e a complexidade dos ecossistema, sejam eles simples ou complexos.

Em conclusão, sem afastar o lirismo e a magia da poesia, pode-se falar de predadores e presas, pois a natureza em si é a maior fonte de motivação, real ou subjetiva, para o poeta.


(*) Este texto foi inspirado em versos da poetisa Rose C.

Foto: ramosforest©

Anúncios

setembro 1, 2008 Posted by | ecologia, Poesia | Deixe um comentário

O Predador, a Presa e o Poeta



A Rose C. com sua suavidade e vigor poético (*)

A Ecologia é uma ciência que se acha em pleno desenvolvimento, após ter sido relegada a um segundo, plano por ser considerada assunto só de biólogos. Na verdade, a Ecologia faz intercâmbio de ensinamentos com inúmeras disciplinas, com as quais interage. Até com a Poesia. As pesquisas ecológicas, hoje em dia, interessam a todas as pessoas, das mais diversas atividades.

Os fatores ecológicos compreendem os aspectos climáticos, os aspectos abióticos na água e no solo, os alimentos e os aspectos bióticos. São estudadas ainda a dinâmica das populações, e a sinecologia – biocenose e ecossistema. Em seu aspecto de aplicação prática, a Ecologia estuda a ação do homem sobre a biosfera e a conservação da natureza.

Os fatores bióticos referem-se às interações que se manifestam entre os diversos organismos que povoam um determinado meio (Roger Dajoz). Estes fatores podem ser reações homotípicas e heterotípicas. As reações homotípicas referem-se a efeito de grupo, efeito de massa e competição intra-específica. As reações heterotípicas compreendem a competição, a predação e o parasitismo, o comensalismo e o mutualismo, e o amensalismo.

Em Sociologia, pode-se, por analogia, dizer que os seres humanos agem e reagem baseados nestes mesmos princípios ecológicos. As reações heterotípicas se combinam, dando como resultantes os seguintes fenômenos:

  • Neutralismo
  • Competição
  • Mutualismo
  • Cooperação
  • Comensalismo
  • Amensalismo
  • Parasitismo
  • Predação

O ser vivo predador é um organismo livre que procura um alimento vivo, animal ou vegetal e, algumas vezes, é confundido com um parasita. Entretanto, ambos, predador e parasita, podem subsistir às custa de uma ou várias espécies. Neste contexto, há que se falar de nicho ecológico e população. Nicho ecológico é a atividade exercida por determinada espécie, enquanto habitat é o lugar em que determinada espécie desenvolve suas atividades. População é o grupo de indivíduos que compõe uma espécie. A população é estudada para se determinar seus limites de crescimento, da quantidade de alimentos disponíveis e para avaliação dos efeitos da competição entre espécies sobre cada uma das duas populações.

As interações predador-presa dependem quase sempre da densidade populacional e a predação tem característica de fator limitante. Assim, quando as presas são abundantes, a fecundidade dos predadores aumenta e a população flutua. Por outro lado, quando o predador captura uma presa, geralmente, estas são as mais fracas da espécie e, assim, é melhorada a qualidade média dos sobreviventes das espécies da presa. Entre as aves, muitas espécies são mais abundantes quando a quantidade de alimento é maior. A densidade das populações depende de fatores diversos, como o clima e a complexidade dos ecossistema, sejam eles simples ou complexos.

Em conclusão, sem afastar o lirismo e a magia da poesia, pode-se falar de predadores e presas, pois a natureza em si é a maior fonte de motivação, real ou subjetiva, para o poeta.


(*) Este texto foi inspirado em versos da poetisa Rose C.

Foto: ramosforest©

setembro 1, 2008 Posted by | ecologia, Poesia | 5 Comentários