FRUIÇÃO E ESCRITA II ENJOYMENT AND WRITING

O Paraíso Perdido – Lost Paradise

A Visão do Paraíso Perdido

Ao longe, verdes pradarias,
Águas límpidas em nascentes.
Amigos passeiam contentes
À Amizade constroem elegias

Trovões, negras nuvens, tempestades
No horizonte surgem, sutis.
De harmonia já não sãos as vontades
Na poesia só se fala de fuzis.

Ao longe, tristes pradarias,
Águas turvas, em torrentes.
Estranhos marcham, reticentes,
A Ares elevam honrarias.

Luiz Ramos (c)

Rio, janeiro de 2008.

Arte/Foto: ramosforest ©

Anúncios

agosto 3, 2008 Posted by | Poesia, poetry, violence. | 2 Comentários