FRUIÇÃO E ESCRITA II ENJOYMENT AND WRITING

A Web, um enxame de abelhas, faz parte do "caldo"

Blogagem Coletiva

Voluntariado contra o analfabetismo digital.

O “caldo” dos organismos unicelulares, o enxame de abelhas e o grunhido dos ancestrais

Meninos, eu vi…!! O “caldo” dos organismos unicelulares, o enxame de abelhas e o grunhido dos ancestrais.

Hoje, eu ouvi a Beatriz Martins falar sobre como gerar qualidade na Web Participativa, com o público colocando a informação e o especialista monitorando o fluxo de informações. O Aloy Jupiara falou sobre o novidades na Interneet e sobre exemplos de quebra do paradigma da comunicação. E, ainda, informou que empresas estão se transformando em produtora de conteúdo e transmissora de conteúdo por diversas formas, nas quais o usuário participa. Ouvi, também, o Aloy falar sobre a noção de Comunidade e referir-se à figura da “Colméia e a Abelha”, ao falar da Web 2.0 e dizer que “o enxame guia a colméia”. E, que o jornalismo deve ser repensado.

O Nilton Bahlis dos Santos falou sobre “Gestão de Conteúdo” com a sociedade controlando, como mediador, pois, os especialistas têm seus interesses, as pessoas que estão interessadas têm interesse que dê certo. Como ele disse, a planta resulta de organismos unicelulares e é o “caldo” que propicia a reunião das células “. O mesmo ocorre nas comunidades virtuais e é o chamado Processo Emergente.

Segundo Bahlis, Web 2.0 compreende o emprego de máquinas no processo de comunicação. O conhecimento pode ser visto em seus aspectos tradicional e web. Atualmente, o sistema de mediação está sendo questionado, pois o “caldo” formado do movimento dos organismos unicelulares cria comunicação entre as partes.

O Henrique Antoun falou sobre os sistemas complexos adaptativos e o sistema de retroalimentação. E exemplificou, dizendo que a Web compara-se a um avião – queima etapas; a Internet é como a ferrovia – todas as estações são iguais, pois o trem passa necessariamente por todas elas. O Blog e as comunidades seriam a reunião de interesses diversos. Vale recordar que ”o enxame guia a colméia”, mas o sistema baseia-se em coisas anódinas, fáceis de vender, e que pode existir a alternativa especial. É a inovação, pois, no Blog, o leitor quer algo diferente do noticiário tradicional.

O importante é seguir as novas teorias e nomenclaturas, para acompanhar e evolução da Plataforma do Conhecimento, pois PROSUMERS são os produtores/ consumidores de informações nessa nova plataforma, somos nós, os usuários.

Marcos Cavalcanti comentou sobre o pensador e o fazedor de Web, que devem considerar o Bem Comum ao participar de fases de execução de Políticas Públicas, e fugir de lugares comuns e de estudos sobre “sexo dos anjos”.

O Robson Santos explanou sobre a Ergonomia dos processos na Web.

Importante a exposição feita pelo Carlos Nepomuceno, referindo-se a História da Comunicação e a Plataforma do Conhecimento, desde a expressão rudimentar oral, passando pela escrita; a leitura – baseada em manuscritos e tipografia; a digitação – com o computador, em 1940; com a Rede – a Internet, em 1994; e a atual fase de Web Participativa.

Assim a Web 2.0 é a plataforma da comunicação de muitos para muitos, uma comunicação de massa. Apesar disso, o universo de usuários da Web é movido por 20% dos usuários – os produtores, enquanto os 80% restantes são simplesmente usuários.

Os modelos de Rede, segundo Carlos Nepomuceno, historicamente, compreendem: 1. Gestão de conteúdo sem comentários (sites atuais); 2. Gestão de conteúdo com comentários (Jornal Online);3. Gestão com Blogs e Comunidades (Jornal com usuário / prosumer); e 4. Gestão de Pessoas; Documentos Wikis (tipo Wikipédia).

Foi assim que eu participei do Primeiro Encontro Regional sobre Pensadores de Web, realizado no dia 10 de novembro de 2007, na ESPM, no centro da cidade do Rio de Janeiro, com o objetivo de discutir a Web 2.0. E nós, como pioneiros – produtores / usuários, certamente estaremos inseridos nesse contexto. Com idealismo, sem disputas, com solidariedade.

Nós fazemos parte do futuro da Web – o Conhecimento do futuro.

Luiz Ramos

Foto: (c) ramosforest

PS.- Este meu texto foi publicado em novembro de 2007 em meu blog Ramosforest Ambiente e, aqui, eu o adaptei para esta blogagem.

Anúncios

abril 25, 2008 Posted by | Conhecimento, Internet, prosumers, usuário, Web 2.0 | 8 Comentários

O Blog dinâmico

See NATURAL SHOT PHOTOS – My Sky Watch Friday now

Thinking about Web and Knowledge

_______________________________________________________

Reflexões sobre a Web e seus usuários após Seminário sobre Web, no Rio de Janeiro, em 2007.

Todos nós passaremos a competir com a qualidade e dinamismo desses merecidos ganhadores de Award quando os blogueiros em geral alcançarem a atenção e consideração dos responsáveis por essas áreas na mídia. Lutamos para chegar a esses prêmios e a essa consideração.

A Web Participativa veio para ficar. A produção de mídia não tem mais um dono, pois todos nós produzimos e consumimos conhecimento. Atualmente, considera-se que, no universo de usuários da Internet, os blogueiros ativos, que atuam como produtores de informação, correspondem a 20% do total, enquanto os restantes 80%, passivos, atuam como visitantes ou produtores eventuais de informação.

Neste contexto de inovação, a Web Participativa leva a questionamentos sobre como gerar qualidade, como quebrar a paralisia da comunicação e como acabar com o receptor passivo de informação.

A formação da Memória Coletiva, resultante do Processo Emergente (Bahlis) citado como o “caldo das células” ou dos enxames de abelhas (Henrique) põe em discussão, inclusive a figura da mediação, pois o próprio ambiente do blog se purifica e expele os maus usuários.

Para prosseguir no caminho da consolidação dos usuários como instrumento de produção e consumo de informações,pois somos produtores/consumidores (prosumers), precisamos nos conscientizar que o posicionamento e a presença de cada um é importante para alcançar a participação plena na Web do futuro.

Luiz Ramos

abril 3, 2008 Posted by | blogger, usuário, Web | 12 Comentários